A infecção urinária é um problema que atinge principalmente mulheres. De acordo com Maria Gabriela Rosa, nefrologista da clínica Renal Quality, uma das explicações para isso está relacionada à anatomia do corpo feminino. A infecção urinária ocorre quando as bactérias presentes no nosso intestino invadem e se proliferam no trato urinário.  A proximidade do ânus e da vagina da entrada da uretra, bem mais curta nas mulheres, aumenta a migração dessas bactérias. Nos homens, a uretra é até cinco vezes maior, portanto, os micróbios chegam com mais dificuldade até a bexiga.

Estima-se que cerca de 63% da população feminina sofra com o problema. Este tipo de infecção pode acometer qualquer parte do sistema urinário, seja bexiga, uretra, ureteres ou os rins. Fatores como o uso de contraceptivos espermicidas, a menopausa, cálculos renais, má higienização da região íntima, gestação e diabetes potencializam o desenvolvimento da infecção urinária.

O diagnóstico na fase inicial evita que a doença se alastre pelo sistema urinário. A prevenção depende de simples hábitos como beber muito líquido e higienização correta da área íntima (que nas mulheres deve ser feita de frente para trás). Urinar após as relações sexuais ajuda a empurrar para fora as bactérias que podem ter migrado no ato e também ajuda na prevenção.

Sintomas da infecção urinária

Entre os sintomas da infecção urinária estão dor e desconforto ao urinar, urina escura e turva com odor, dores na região pélvica ou nas costas e vontade constante de urinar.

“A proliferação das bactérias na bexiga provoca a cistite. Já a pielonefrite ocorre quando as bactérias atingem os rins, quadro que tem como principais sintomas, além dos característicos da infecção urinária, dor lombar, febre, náusea e vômito. Por isso é importante iniciar o tratamento com orientação médica logo no início”, reforça a nefrologista da Renal Quality.

Por: Lettera Comunicação Estratégica